Menoridade Intelectual (MI):

Autodiagnóstico e Tratamento

  • Sissi Lopes

Resumo

Este artigo tem por objetivo apresentar a proposta, características, tratamento e comorbidades da neoparapatologia Menoridade Intelectual (MI), assim denominada em virtude da aceitação passiva da conscin, sem análise crítica, de conhecimentos, informações ou opiniões de terceiros, apresentando restringimento da autonomia cognitiva e do progresso intelectual, com prejuízo maturológico, proexológico e autoevolutivo. A pesquisa demonstra que a dificuldade, até o momento, do reconhecimento da MI como um diagnóstico diferencial se deve ao fato de os principais sinais e sintomas, a credulidade e heteronomia cognitiva, serem considerados comportamentos normais (normose) para muitas pessoas. A metodologia da pesquisa está fundamentada na aplicação da autora das 4 fases do processo consciencioterápico e pesquisa temática nos artefatos do saber da Conscienciologia, Filosofia, Educação, Psicologia e Psiquiatria. A conclusão aborda a eficácia e organização lógica do método de pesquisa utilizado e a importância dos autoesforços da conscin de seu desenvolvimento cognitivo e intelectual, independente de influência externa, com auto e heterocriticidade e permitindo-se o benefício da dúvida (Descrenciologia), como fazem o livre-pensador e o pesquisador conscienciológico teático.

Publicado
2017-12-20
Como Citar
LOPES, Sissi. Menoridade Intelectual (MI):. Revista Conscientiotherapia, [S.l.], v. 4, n. 4, p. 05-16, dez. 2017. Disponível em: <http://conscientiotherapia.org.br/index.php?journal=revista&page=article&op=view&path%5B%5D=66>. Acesso em: 20 jun. 2024.
Seção
Autoconsciencioterapia